O BOCA DE FORNO

amiga de ze carlos

17 de Abr de 2014

Meu caro amigo ze carlos gostaria de convida-lo vc, e os demais moradores de itapebi, para a festa de aleluia no sábado na praça fenix a principal atração será a queima do judas o traidor plinio correia, até lá, vai ser a maior diversão kkkkk

Arnaldo Alves

17 de Abr de 2014

Prezado Ubaldo Senna Filho, Municípios de Itapebi e Itagimirim têm novos limites. Veja abaixo a Lei, em forma detalhada. O Governador do Estado da Bahia faço saber que a Assembleia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º - Os limites dos Municípios integrantes do Território de Identidade Costa do Descobrimento ficam atualizados com base na Lei nº 12.057/2011, passando a vigorar com as redações constantes dos seguintes parágrafos: § 1º - Os limites do Município de BELMONTE, estabelecidos na forma da Lei nº 628, de 30 de dezembro de 1953, ficam atualizados, passando a vigorar com a seguinte redação: I - com o Município de Mascote - começa na nascente do córrego Veremos (coordenadas -15° 47' 35,27"; -39° 34' 23,84"), segue pelo divisor de águas dos rios Braço do Norte, Braço do Sul do rio Salsa e córrego Veremos até a nascente do riacho da fazenda Sombra da Tarde (coordenadas -15° 51' 00,06"; -39° 21' 22,48"); II - com o Município de Canavieiras - começa na nascente do riacho da fazenda Sombra da Tarde (coordenadas -15° 51' 00,06"; -39° 21' 22,48"), segue pelo divisor de águas entre os rios Braço do Norte e Braço do Sul do rio Salsa, sentido leste, até a nascente do riacho da Baixa dos Correias (coordenadas -15° 48' 14,04"; -39° 11' 12,10"), desce por este até sua foz no Braço Sul do rio Salsa (coordenadas -15° 48' 35,24"; -39° 10' 26,93";), desce por este até a foz do rio Braço do Norte (coordenadas -15° 47' 56,45"; -39° 08' 24,04"), daí alcança e segue pelo divisor de águas do riacho Moari e do Canal de Poaçu até o centro da lagoa do Moari (coordenadas -15° 49' 32,72"; -39° 07' 20,08"), desce pelo referido canal e pelo riacho Moari até o rio Salsa, na foz do Canal de Poaçu (coordenadas -15° 47' 13,86"; -39° 06' 23,80"), daí em reta, sentido leste, passando pela Barra do Peso (coordenadas -15° 46' 04,88"; -38° 53' 53,77"), até alcançar a linha de costa, no ponto que confronta a Barra do Peso (coordenadas -15° 46' 02,44"; -38° 53' 34,85"); III - com o Oceano Atlântico - começa na linha de costa, no ponto que confronta a Barra do Peso (coordenadas -15° 46' 02,44"; -38° 53' 34,85"), segue pela linha de costa até a foz do rio Mojiquiçaba, no Oceano Atlântico (coordenadas -16° 05' 34,28"; -38° 56' 58,76"); IV - com o Município de Santa Cruz Cabrália - começa na foz do rio Mojiquiçaba, no Oceano Atlântico (coordenadas -16° 05' 34,28"; -38° 56' 58,76" ), daí em reta, sentido noroeste, até o Km 26 da BA-275 (coordenadas -16° 03' 08,08"; -39° 09' 01,87"), próximo à localidade Petrolândia, segue pela referida rodovia, sentido cidade de Itapebi, até o entroncamento para o assentamento Manoel Severino (coordenadas -16° 05' 28,31"; -39° 13' 48,91"), daí em reta, sentido sudoeste, até a ponte sobre o rio Santo Antônio, na BA-683 (coordenadas -16° 07' 56,38"; -39° 16' 44,34"), daí em reta, sentido noroeste, até o ponto na BA-275 (coordenadas -16° 06' 40,08"; -39° 18' 11,52"), situado a noroeste do povoado de Ponto Central e 3 Km a oeste do povoado de Barrolândia, segue por esta até o ponto de coordenadas -16° 05' 52,93?; -39° 24' 09,70", fronteiro à fábrica da Veracel, situado no divisor de águas entre as bacias dos rios Jequitinhonha e Santo Antônio; V - com o Município de Eunápolis - começa na BA-275, no ponto de coordenadas -16°05'52,93?; -39°24'09,70", fronteiro à fábrica da Veracel, situado no divisor de águas entre as bacias dos rios Jequitinhonha e Santo Antônio, segue pelo referido divisor até alcançar o entroncamento da BA-275 com a estrada que liga a BR-101 à fábrica da Veracel (coordenadas -16° 05' 08,24";39° 25' 26,53"), segue pela referida BA, sentido Itapebi, até a ponte sobre o córrego dos Mouras (coordenadas -16° 04' 36,53"; -39° 25' 58,95"); VI - com o Município de Itapebi - começa na ponte sobre o córrego dos Mouras, na BA-275 (coordenadas -16° 04' 36,53"; -39° 25' 58,95"), desce por este até sua foz no rio Jequitinhonha (coordenadas -16° 02' 50,89"; -39° 23' 29,69"), sobe por este até a foz do córrego Veremos (coordenadas -15° 58' 59,83"; -39° 28' 40,84"), sobe por este até sua nascente (coordenadas -15° 47' 35,27" ; -39° 34' 23,84"). § 2º - Os limites do Município de EUNÁPOLIS, estabelecidos na forma da Lei nº 4.770, de 12 de maio de 1988, ficam atualizados, passando a vigorar com a seguinte redação: I - com o Município de Itagimirim - começa no divisor de águas entre as bacias dos rios Jequitinhonha, Buranhém e Santa Cruz (coordenadas -16° 15' 12,94"; -39° 51' 52,93"), no ponto fronteiro à nascente do córrego Duas Barras, segue pelo referido divisor até o ponto de coordenadas -16° 14' 12,65"; -39° 49' 56,08", fronteiro à nascente do córrego da Jaqueira, daí em reta, sentido nordeste, até a nascente do córrego Gabiarra (coordenadas -16° 11' 48,10"; -39° 45' 13,40"), continua em reta, sentido nordeste, até o entroncamento da BR-101 com a estrada para a fábrica da Veracel (coordenadas -16° 09' 15,15"; -39° 35' 43,15"), continua em reta, sentido nordeste, até a nascente do rio Santo Antônio (coordenadas -16° 07' 56,57"; -39° 33' 33,56"), desce por este até a foz do córrego da Lama (coordenadas -16° 05'34,77"; -39° 28'09,27"); II - com o Município de Itapebi - começa na foz do córrego da Lama no rio Santo Antônio (coordenadas -16° 05' 34,77"; -39° 28' 09,27"), daí em reta, sentido nordeste, até a ponte sobre o córrego dos Mouras, na BA-275 (coordenadas -16° 04' 36,53"; -39° 25' 58,95"); III - com o Município de Belmonte - começa na ponte sobre o córrego dos Mouras, na BA-275 (coordenadas -16° 04' 36,53"; -39° 25' 58,95"), segue por esta, sentido cidade de Belmonte, até o ponto no entroncamento com a estrada que liga a BR-101 à fábrica da Veracel (coordenadas -16° 05' 08,24"; -39° 25' 26,53"), situado no divisor de águas entre as bacias dos rios Jequitinhonha e Santo Antônio, segue pelo referido divisor até alcançar o ponto na BA-275 (coordenadas -16° 05' 52,93?; -39° 24' 09,70"), fronteiro à fábrica da Veracel; IV - com o Município de Santa Cruz Cabrália - começa na BA-275, no ponto de coordenadas -16° 05' 52,93?; -39° 24' 09,70", fronteiro à fábrica da Veracel e situado no divisor de águas entre os rios Jequitinhonha e Santo Antônio, daí em reta, sentido sudoeste, até o entroncamento da BA-683 com a estrada para o assentamento Maravilha II (coordenadas -16° 13' 57,86"; -39° 25' 13,99"), daí em reta, sentido sudeste, até o entroncamento da estrada Agrovila do PA Maravilha-fazenda Milagrosa com a estrada para o assentamento Embaúba (coordenadas -16° 15' 29,22"; -39° 23' 53,29"), continua em reta, sentido sul, até o rio Sapucaeira, no ponto de coordenadas -16° 15' 39,48; -39° 23' 54,39", fronteiro à estrada Agrovila do PA Maravilha-Embaúba e próximo à fazenda Milagrosa, desce por este, até a foz do córrego Sapucaeirinha (coordenadas -16° 16' 06,78"; -39° 22' 56,10"), sobe por este até sua nascente (coordenadas -16° 16' 58,38"; -39° 26' 31,84"), próximo à fazenda Sapucaeira, daí em reta, sentido sul, até o córrego do Sul (coordenadas -16° 18' 32,62?; -39° 26' 32,00"), situado 4 Km a leste de sua nascente, continua em reta, sentido sudoeste, até o ponto no Km 15 da BR-367 (coordenadas -16° 23' 30,75?; -39° 27' 24,45"), situado a 1 Km da Faculdade UnisulBahia; V - com o Município de Porto Seguro - começa no Km 15 da BR-367 (coordenadas -16° 23' 30,75?; -39° 27' 24,45"), situado 1 Km a oeste da faculdade UnisulBahia, daí em reta, sentido sudoeste, até alcançar o córrego Pindoba, na fazenda Piracicaba, ao sul da faculdade UnisulBahia (coordenadas -16° 24' 14,67"; -39° 28' 06,54"), sobe por este até a foz do riacho São José (coordenadas -16° 24' 05,42"; -39° 28' 26,40"), sobe por este até sua nascente (coordenadas -16° 24' 28,42"; -39° 29' 00,47"), daí em reta, sentido sudoeste, até a estrada PA Milton Santos-BR-101 (coordenadas -16° 26' 38,51"; -39° 30' 18,44"), próximo à fazenda Conjunto Amazonas, continua em reta, no mesmo sentido, até alcançar o córrego Queimadinho (coordenadas -16° 29' 44,27"; -39° 31' 09,42"), ao sul da fazenda Nova Esperança; VI - com o Município de Itabela - começa no córrego Queimadinho (coordenadas -16° 29' 44,27"; -39° 31' 09,42"), ao sul da fazenda Nova Esperança, sobe por este até sua nascente (coordenadas -16° 28' 41,18"; -39° 33' 21,03"), daí em reta, sentido noroeste, até a ponte sobre o rio Jacarandá, na BR-101 (coordenadas -16° 28' 13,46"; -39° 34' 30,85"), sobe por este até sua nascente (coordenadas -16° 30' 39,08"; -39° 41' 55,10"), daí em reta, sentido sul, até o córrego São Gonçalo (coordenadas -16° 32' 46,16"; -39° 41' 54,30"), próximo à fazenda Olho d?Água; VII - com o Município de Guaratinga - começa no córrego São Gonçalo (coordenadas -16° 32' 46,16"; -39° 41' 54,30"), próximo à fazenda Olho d?Água, daí em reta, sentido noroeste, até a nascente do córrego Pau Ferro (coordenadas -16° 30' 57,69"; -39° 43' 34,06"), desce por este até sua foz no córrego Itu (coordenadas -16° 26' 09,48"; -39° 43' 13,09"), sobe por este até a foz do córrego Alecrim (coordenadas -16° 26' 35,43"; -39° 45' 53,40"), sobe por este até sua nascente (coordenadas -16° 22' 42,31"; -39° 45' 53,66"), daí em reta, sentido noroeste, até a foz do córrego Benedito no rio Buranhém (coordenadas -16° 21' 08,67"; -39° 46' 42,82"), sobe pelo referido córrego até sua nascente (coordenadas -16° 17' 05,14"; -39° 50' 55,02"), segue pelo divisor de águas da sub-bacia do córrego Duas Barras e da bacia do rio Santa Cruz até o ponto de encontro com o divisor de águas dos rios Jequitinhonha e Buranhém (coordenadas -16° 15' 12,94"; -39° 51' 52,93"), fronteiro à nascente do córrego Duas Barras. § 3º - Os limites do Município de GUARATINGA, estabelecidos na forma da Lei nº 1.466, de 31 de agosto 1961, ficam atualizados, passando a vigorar com a seguinte redação: I - com o Estado de Minas Gerais - começa no ponto fronteiro à nascente do córrego Velho Alfredo, Tabocal ou dos Sete Ranchos (coordenadas -16° 41' 45,91"; -40° 18' 22,90"), no divisor de águas entre as bacias dos rios Jucuruçu ou Prado e Buranhém, segue pelo divisor de águas das sub-bacias dos córregos Grande e da Onça até a nascente do córrego Velho Alfredo, Tabocal ou dos Sete Ranchos (coordenadas -16° 40' 46,11"; -40° 18' 48,66"), desce por este até sua foz no rio Buranhém (coordenadas -16° 33' 24,94"; -40° 14' 06,64"), desce por este até a foz do córrego do Timóteo ou do Clemente (coordenadas -16° 34' 32,03"; -40° 09' 30,78"), sobe por este até sua nascente (coordenadas -16° 25' 23,62"; -40° 05' 55,20"), segue pelo divisor de águas entre as bacias dos rios Buranhém e Jequitinhonha até o ponto de coordenadas -16° 17' 07,71"; -39° 54' 53,94", próximo à nascente do córrego do Embaré; II - com o Município de Itagimirim - começa no divisor de águas entre as bacias dos rios Buranhém e Jequitinhonha no ponto de coordenadas -16° 17' 07,71"; -39° 54' 53,94", próximo à nascente do córrego do Embaré, segue pelo referido divisor até o ponto fronteiro à nascente do córrego Duas Barras, no divisor de águas das bacias dos rios Buranhém, Jequitinhonha e Santa Cruz (coordenadas -16° 15' 12,94"; -39° 51' 52,93"); III - com o Município de Eunapólis - começa no ponto fronteiro à nascente do córrego Duas Barras, no divisor de águas das bacias dos rios Buranhém, Jequitinhonha e Santa Cruz (coordenadas -16° 15' 12,94"; -39° 51' 52,93"), segue pelo divisor de águas da sub-bacia do córrego Duas Barras e da bacia do rio Santa Cruz até a nascente do córrego Benedito (coordenadas -16° 17'05,14"; -39° 50' 55,02"), desce por este, até sua foz no rio Buranhém (coordenadas -16° 21' 08,67"; -39° 46' 42,82"), daí em reta, sentido sudeste, até a nascente do córrego Alecrim (coordenadas -16°22' 42,31"; -39° 45' 53,66"), desce por este até sua foz no córrego Itu (coordenadas -16°26' 35,43"; -39° 45' 53,40"), desce por este até a foz do córrego Pau Ferro (coordenadas -16°26' 09,48"; -39° 43' 13,09"), sobe por este até sua nascente (coordenadas -16° 30' 57,69";-39° 43'34,06"), daí em reta, sentido sudeste, até o ponto no córrego São Gonçalo (coordenadas -16° 32' 46,16"; -39° 41' 54,30"), próximo à fazenda Olho d'Água; IV - com o Município de Itabela - começa no córrego São Gonçalo (coordenadas -16° 32' 46,16"; -39° 41' 54,30"), próximo à fazenda Olho d'Água, desce por este, até a ponte na BA-283 (coordenadas -16° 34' 20,03"; -39° 38' 49,14"), daí em reta, sentido sudoeste, até a foz do córrego Mineiro no rio dos Frades, que recebe denominação local de rio Barriguda (coordenadas -16° 40' 26,81"; -39° 40' 37,32"), sobe pelo córrego Mineiro até sua nascente (coordenadas -16° 45' 20,79"; -39° 39' 45,82"), daí em reta, sentido sul, até o alto da serra da Pindoba (coordenadas -16° 46' 51,13"; -39° 39' 40,14"); V - com o Município de Itamaraju - começa no alto da serra da Pindoba (coordenadas -16° 46' 51,13"; -39° 39' 40,14"), segue pelo divisor de águas das bacias dos rios Jucuruçu ou Prado e dos Frades até a nascente do córrego Gostoso (coordenadas -16° 43' 39,31"; -39° 46' 06,70"); VI - com o Município de Jucuruçu - começa na nascente do córrego Gostoso (coordenadas -16° 43' 39,31"; -39° 46' 06,70"); segue pelo divisor de águas entre as bacias dos rios Jucuruçu ou Prado, Frades e Buranhém, até o ponto fronteiro à nascente do córrego Velho Alfredo, Tabocal ou dos Sete Ranchos (coordenadas -16° 41' 45,91"; -40° 18' 22,90"). § 4º - Os limites do Município de ITABELA, estabelecidos na forma da Lei nº 5.000, de 13 de junho de 1989, ficam atualizados, passando a vigorar com a seguinte redação: I - com o Município de Porto Seguro - começa no córrego Queimadinho, no ponto de coordenadas -16° 29' 44,27"; -39° 31' 09,42", ao sul da fazenda Nova Esperança, desce por este até sua foz no rio dos Frades (coordenadas -16° 33' 33,04"; -39° 25' 02,76"), sobe por este até o ponto de coordenadas -16° 35' 23,58"; -39° 28' 57,74", ao sul da fazenda Ouro Preto, daí em reta, sentido sul, até a nascente do córrego das Bocas (coordenadas -16° 36' 41,46"; -39° 29' 13,39"), na região Boa Sorte, desce por este até sua foz no rio Caraíva (coordenadas -16° 43' 03,63"; -39° 23' 06,92"), desce por este até a foz do córrego Guaxumã (coordenadas -16° 47' 09,22"; -39° 20' 16,30"), sobe por este até a ponte na BR-101 (coordenadas -16° 45' 01,15"; -39° 27' 08,85"), segue por esta estrada, sentido sul, até o ponto no referencial de nível (RN) 39 (coordenadas -16° 52' 19,09"; -39° 30' 15,86"), no divisor de águas das bacias dos rios Jucuruçu ou Prado e Caraíva; II - com o Município de Itamaraju - começa no divisor de águas das bacias dos rios Jucuruçu ou Prado e Caraíva, no referencial de nível (RN) 39 (coordenadas -16° 52' 19,09"; -39° 30' 15,86"), na BR-101, segue pelo referido divisor de águas até o alto da serra da Pindoba (coordenadas -16° 46' 51,13"; -39° 39' 40,14"); III - com o Município de Guaratinga - começa no alto da serra da Pindoba (coordenadas -16° 46' 51,13"; -39° 39' 40,14"), daí em reta, sentido norte, até a nascente do córrego Mineiro (coordenadas -16° 45' 20,79"; -39° 39' 45,82"), desce por este até sua foz no rio dos Frades, que recebe denominação local de rio Barriguda (coordenadas -16° 40' 26,81"; -39° 40' 37,32"), daí em reta, sentido nordeste, até a ponte sobre o córrego São Gonçalo, na BA-283 (coordenadas -16° 34' 20,03"; -39° 38' 49,14"), sobe por este até o ponto de coordenadas -16° 32' 46,16"; -39° 41' 54,30", próximo à fazenda Olho D'água; IV - com o Município de Eunapólis - começa no córrego São Gonçalo (coordenadas -16° 32' 46,16"; -39° 41' 54,30"), próximo à fazenda Olho d'Água, daí em reta, sentido norte, até a nascente do rio Jacarandá (coordenadas -16° 30' 39,08"; -39° 41' 55,10"), desce por este até a ponte na BR-101 (coordenadas -16° 28' 13,46"; -39° 34' 30,85"), daí em reta, sentido sudeste, até a nascente do córrego Queimadinho (coordenadas -16° 28' 41,18"; -39° 33' 21,03"), desce por este até o ponto de coordenadas -16° 29' 44,27"; -39° 31' 09,42", ao sul da fazenda nova Esperança. § 5º - Os limites do Município de ITAGIMIRIM, estabelecidos na forma da Lei nº 1.687, de 23 de abril de 1962, ficam atualizados, passando a vigorar com a seguinte redação: I - com o Município de Itarantim - começa na foz do córrego Bugalhau ou Lava Pés (coordenadas -15° 59' 29,79"; -39° 56' 50,97"), no rio Jequitinhonha, junto à extremidade inferior da Cachoeira do Salto Grande, desce pelo referido rio até a foz do córrego da Gameleira (coordenadas -15° 58' 35,68"; -39° 50' 35,96"); II - com o Município de Itapebi - começa na foz do córrego da Gameleira no rio Jequitinhonha (coordenadas -15° 58' 35,68"; -39° 50' 35,96"), desce por este até a foz do córrego do Peixe (coordenadas -15° 58' 18,68"; -39° 44' 59,15"), daí em reta, sentido sudeste, até a foz do riacho Tupumuju no córrego Cariri (coordenadas -16° 00' 29,00"; -39° 37' 00,95"), continua em reta até o entroncamento da BR-101 com a estrada para a fazenda Tupumuju (coordenadas -16° 01' 20,67"; -39° 36' 32,23"), continua em reta, sentido sudeste, até o alto da serra do Limoeiro, fronteiro à pedreira São Vicente Mineração (coordenadas -16° 01' 55,47";-39° 33' 21,94"), continua em reta até a nascente do córrego da Lama (coordenadas -16° 03' 30,86"; -39° 29' 19,19"), desce por este até sua foz no rio Santo Antônio (coordenadas -16° 05' 34,77"; -39° 28' 09,27"); III - com o Município de Eunápolis - começa na foz do córrego da Lama no rio Santo Antônio (coordenadas -16° 05' 34,77"; -39° 28' 09,27"), sobe por este até sua nascente (coordenadas -16° 07' 56,57"; -39° 33' 33,56"), daí em reta, sentido sudoeste, até o entroncamento da BR-101 com a estrada para a fábrica da Veracel (coordenadas -16° 09' 15,15"; -39° 35' 43,15"), continua em reta até a nascente do córrego Gabiarra (coordenadas-16° 11' 48,10"; -39° 45' 13,40"), continua em reta, sentido sudoeste, até o ponto no divisor de águas entre as bacias dos rios Jequitinhonha, Buranhém e Santa Cruz (coordenadas -16° 14' 12,65"; -39° 49' 56,08"), fronteiro à nascente do córrego da Jaqueira, segue pelo referido divisor, sentido sudoeste, até o ponto de coordenadas -16° 15' 12,94"; -39° 51' 52,93", fronteiro à nascente do córrego Duas Barras; IV - com o Município de Guaratinga - começa no divisor de águas das bacias dos rios Buranhém, Jequitinhonha e Santa Cruz (coordenadas -16° 15' 12,94"; -39° 51' 52,93"), no ponto fronteiro à nascente do córrego Duas Barras, segue pelo divisor de águas dos rios Jequitinhonha e Buranhém até o ponto de coordenadas -16° 17' 07,71"; -39° 54' 53,94", próximo à nascente do córrego Embaré; V - com o Estado de Minas Gerais - começa no divisor de águas entre as bacias dos rios Buranhém e Jequitinhonha (coordenadas -16° 17' 07,71"; -39° 54' 53,94"), próximo à nascente do córrego Embaré, segue pelo divisor de águas das sub-bacias dos córregos Zé Crioulo e do Padre até a nascente do córrego Lava Pés, que recebe denominação local de Bugalhau (coordenadas -16° 01' 16,56"; -39° 56' 06,21"), desce por este até sua foz no rio Jequitinhonha (coordenadas -15° 59' 29,79"; -39° 56' 50,97"), junto à extremidade inferior da Cachoeira do Salto Grande. § 6º - Os limites do Município de ITAPEBI, estabelecidos na forma da Lei nº 1.022, de 14 de agosto de 1958, ficam atualizados, passando a vigorar com a seguinte redação: I - com o Município de Potiraguá - começa no alto da serra Azul (coordenadas -15° 52' 04,62" ; -39° 54' 38,46), segue pelo divisor de águas entre as bacias dos rios Jequitinhonha e Pardo, sentido leste, até o encontro com o divisor de águas da sub-bacia do córrego Surubim (coordenadas -15° 46' 23,45" ; -39° 34' 03,52"), próximo à fazenda Roçado; II - com o Município de Mascote - começa no encontro do divisor de águas da sub-bacia do córrego Surubim com o divisor de águas entre as bacias dos rios Jequitinhonha e Pardo (coordenadas -15° 46' 23,45"; -39° 34' 03,52"), próximo à fazenda Roçado, segue pelo referido divisor até a nascente do córrego Veremos (coordenadas -15° 47' 35,27"; -39° 34' 23,84"); III - com o Município de Belmonte - começa na nascente do córrego Veremos (coordenadas -15° 47' 35,27"; -39° 34' 23,84"), desce por este até sua foz no rio Jequitinhonha (coordenadas -15° 58' 59,83"; -39° 28' 40,84"), desce por este até a foz do córrego dos Mouras (coordenadas -16° 02' 50,89"; -39° 23' 29,69"), sobe por este até a ponte na BA-275 (coordenadas -16° 04' 36,53"; -39° 25' 58,95"); IV - com o Município de Eunápolis - começa na ponte sobre o córrego dos Mouras, na BA-275 (coordenadas -16° 04' 36,53"; -39° 25' 58,95"), daí em reta, sentido sudoeste, até a foz do córrego da Lama no rio Santo Antônio (coordenadas -16° 05' 34,77"; -39° 28' 09,27"); V - com o Município de Itagimirim - começa na foz do córrego da Lama no rio Santo Antônio (coordenadas -16° 05' 34,77"; -39° 28' 09,27"), sobe pelo referido córrego até sua nascente (coordenadas -16° 03' 30,86"; -39° 29' 19,19"), daí em reta, sentido noroeste, até o alto da serra do Limoeiro, fronteiro à pedreira São Vicente Mineração (coordenadas -16° 01' 55,47"; -39° 33' 21,94"), continua em reta até o entroncamento da BR-101 com a estrada para a fazenda Tupumuju (coordenadas -16° 01' 20,67"; -39° 36' 32,23"), @ ___þ¯ðH até a foz do riacho Tupumuju no córrego Cariri (coordenadas -16° 00' 29,00"; -39° 37' 00,95"), continua em reta, sentido noroeste, até a foz do córrego do Peixe no rio Jequitinhonha (coordenadas -15° 58' 18,68"; -39° 44' 59,15"), sobe por este até a foz do córrego da Gameleira (coordenadas -15° 58' 35,68"; -39° 50' 35,96"); VI - com o Município de Itarantim - começa na foz do córrego da Gameleira no rio Jequitinhonha (coordenadas -15° 58' 35,68"; -39° 50' 35,96"), sobe pelo referido córrego até a foz do córrego da Gameleira Seca (coordenadas -15° 57' 18,48"; -39° 52' 05,13"), sobe por este até sua nascente (coordenadas -15° 52' 13,05"; -39° 56' 50,31"), segue pelo divisor de águas entre as bacias dos rios Jequitinhonha e Pardo até alcançar o alto da serra Azul (coordenadas -15° 52' 04,62"; -39° 54' 38,46"). § 7º - Os limites do Município de PORTO SEGURO, estabelecidos na forma da Lei nº 628, de 30 de dezembro de 1953, ficam atualizados, passando a vigorar com a seguinte redação: I - com o Município de Santa Cruz Cabrália - começa no Km 15 da BR-367 (coordenadas -16° 23' 30,75"; -39° 27' 24,45"), situado 1 km a oeste da faculdade UnisulBahia, segue pela referida estrada, sentido cidade de Porto Seguro até o ponto fronteiro à fazenda Granja União (coordenadas -16° 23' 14,94"; -39° 25' 54,90"), daí em reta, sentido leste, até a nascente do córrego Ipiranga (coordenadas -16° 23' 09,55"; -39° 25' 46,95"), desce por este até o ponto de coordenadas -16° 23' 08,34"; -39° 23' 03,05", próximo ao assentamento Coroa Luís Inácio Lula da Silva, daí em reta, sentido sudeste, até o ponto na BR-367 (coordenadas -16° 23' 18,18"; -39° 22' 53,65"), próximo à escola municipal Paulo Freire, segue pela referida estrada, sentido cidade de Porto Seguro, até o ponto de coordenadas -16° 23' 46,64"; -39° 11' 31,14", próximo à escola municipal Chapeuzinho Vermelho, daí em reta, sentido nordeste, até a nascente do córrego CEPLAC (coordenadas -16° 23' 23,96"; -39° 11' 23,38"), desce por este até o ponto de coordenadas -16° 23' 10,15"; -39° 11' 03,85", próximo à CEPLAC, daí em reta, sentido sudeste, até a nascente do rio Jardim (coordenadas -16° 23' 15,45"; -39° 09' 59,77"), desce por este até o ponto de coordenadas -16° 20' 36,72"; -39° 01' 03,44", fronteiro ao cruzamento entre as ruas do Telégrafo e das Palmeiras, segue pela rua das Palmeiras até encontrar a BR-367 (coordenadas -16º 20' 43,62"; -39º 00' 33,33"), daí em reta, sentido sudeste, até a linha de costa (coordenadas -16º 20' 44,70"; -39º 00' 31,91"), fronteiro à rua das Palmeiras; II - com o Oceano Atlântico - começa no ponto na linha de costa (coordenadas - 16º 20' 44,70"; -39º 00' 31,91"), fronteiro à rua das Palmeiras, segue pela linha de costa até a foz do rio Corumbau no Oceano Atlântico (coordenadas -16° 53' 32,84"; -39° 07' 11,65"); III - com o Município de Prado - começa no Oceano Atlântico na foz do rio Corumbau (coordenadas -16° 53' 32,84"; -39° 07' 11,65"), sobe por este até sua nascente (coordenadas -16° 53' 31,48"; -39° 26' 32,08"); IV - com o Município de Itamaraju - começa na nascente do rio Corumbau (coordenadas -16° 53' 31,48"; -39° 26' 32,08"), segue pelo divisor de águas das bacias dos rios Jucuruçu ou Prado e Caraíva até o referencial de nível (RN) 39 (coordenadas -16° 52' 19,09"; -39° 30' 15,86"), na BR-101; V - Com o Município de Itabela - começa no divisor de águas das bacias dos rios Jucuruçu ou Prado e Caraíva até o referencial de nível (RN) 39 (coordenadas -16° 52' 19,09"; -39° 30' 15,86"), na BR-101, segue pela referida estrada, sentido norte, até a ponte sobre o córrego Guaxumã (coordenadas -16°45' 01,15"; -39° 27' 08,85"), desce por este até a sua foz no rio Caraíva (coordenadas -16°47' 09,22"; -39° 20' 16,30"), sobe por este até a foz do córrego das Bocas (coordenadas -16°43' 03,63"; -39° 23' 06,92"), sobe por este até sua nascente (coordenadas -16° 36' 41,46"; -39° 29'13,39"), na região da Boa Sorte, daí em reta, sentido norte, até o ponto no rio dos Frades (coordenadas -16° 35' 23,58"; -39° 28' 57,74"), ao sul da fazenda Ouro Preto, desce por este até a foz do córrego do Queimadinho (coordenadas -16° 33' 33,04"; -39° 25' 02,76"), sobe por este até o ponto de coordenadas -16° 29' 44,27"; -39° 31' 09,42", ao sul da fazenda Nova Esperança; VI - com o Município de Eunapólis - começa no córrego Queimadinho no ponto de coordenadas -16° 29' 44,27"; -39° 31' 09,42", ao sul da fazenda Nova Esperança, daí em reta, sentido nordeste, até o ponto na BR-101-PA Milton Santos (coordenadas -16° 26' 38,51"; -39° 30' 18,44"), próximo à fazenda Conjunto Amazonas, continua em reta, sentido nordeste, até a nascente do riacho São José (coordenadas -16° 24' 28,42"; -39° 29' 00,47"), desce por este até sua foz no córrego Pindoba (coordenadas -16° 24' 05,42"; -39° 28' 26,40"), desce por este até o ponto de coordenadas -16° 24' 14,67"; -39° 28' 06,54", na fazenda Piracicaba, ao sul da faculdade UnisulBahia, daí em reta, sentido nordeste, até o Km 15 da BR-367 (coordenadas -16° 23' 30,75"; -39° 27' 24,45"), situado a 1 Km a oeste da faculdade UnisulBahia. § 8º - Os limites do Município de SANTA CRUZ CABRÁLIA, estabelecidos na forma da Lei nº 628, de 30 de dezembro de 1953, ficam atualizados, passando a vigorar com a seguinte redação: I - com o Município de Belmonte - começa na BA-275, no ponto de coordenadas -16° 05' 52,93?; -39° 24' 09,70", fronteiro à fábrica da Veracel, situado no divisor de águas das bacias dos rios Jequitinhonha e Santo Antônio, segue pela referida rodovia, sentido Belmonte, até o ponto de coordenadas -16°06'40,08"; -39°18'11,52", situado a noroeste do povoado de Ponto Central e 3 Km a oeste do povoado de Barrolândia, daí em reta, sentido sudeste, até a ponte sobre o rio Santo Antônio, na BA-683 (coordenadas -16° 07' 56,38"; -39° 16' 44,34"), continua em reta, sentido nordeste, até o entroncamento da BA-275 com a estrada para o assentamento Manoel Severino (coordenadas -16° 05' 28,31"; -39° 13' 48,91"), segue pela referida rodovia até alcançar o Km 26 (coordenadas -16° 03' 08,08"; -39° 09' 01,87"), próximo à localidade Petrolândia, daí em reta, sentido sudeste, até a foz do rio Mojiquiçaba, no Oceano Atlântico (coordenadas -16° 05' 34,28"; -38° 56' 58,76"); II - Com o Oceano Atlântico - começa na foz do rio Mojiquiçaba, no Oceano Atlântico (coordenadas -16° 05' 34,28"; -38° 56' 58,76"), segue pela linha de costa, sentido sul, até o ponto de coordenadas -16° 20' 44,70"; -39° 00' 31,91", fronteiro à rua das Palmeiras; III - com o Município de Porto Seguro - começa na linha de costa no ponto de coordenadas -16° 20' 44,70"; -39° 00' 31,91", fronteiro à rua das Palmeiras, daí em reta, sentido noroeste, até a BR-367 (coordenadas -16°20' 43,62"; -39°00' 33,33"), na entrada da rua das Palmeiras, segue por esta, sentido oeste, até o ponto no rio Jardim (coordenadas -16° 20' 36,72"; -39° 01' 03,44"), fronteiro ao cruzamento com a rua do Telégrafo, sobe por este até sua nascente (coordenadas -16°23' 15,45"; -39° 09' 59,77"), daí em reta, sentido noroeste, até alcançar o córrego CEPLAC (coordenadas -16°23' 10,15"; -39° 11' 03,85"), próximo à CEPLAC, sobe por este até sua nascente (coordenadas -16°23' 23,96"; -39° 11' 23,38"), daí em reta, sentido sudoeste, até a BR-367 (coordenadas -16° 23' 46,64"; -39°11' 31,14"), próximo à escola municipal Chapeuzinho Vermelho, segue pela referida rodovia, sentido cidade de Eunápolis, até o ponto de coordenadas -16° 23' 18,18"; -39° 22' 53,65", próximo à escola municipal Paulo Freire, daí em reta, sentido noroeste, até o córrego Ipiranga (coordenadas -16° 23' 08,34"; -39° 23' 03,05"), próximo ao assentamento Coroa Luís Inácio Lula da Silva, sobe por este até sua nascente (coordenadas -16° 23' 09,55"; -39° 25' 46,95"), daí em reta, sentido oeste, até a BR-367, no ponto de coordenadas -16° 23' 14,94"; -39° 25' 54,90", fronteiro à fazenda Granja União, segue pela referida estrada, sentido cidade de Eunápolis, até o Km 15 no ponto de coordenadas -16° 23' 30,75"; -39° 27' 24,45"), situado a 1 Km a oeste da faculdade UnisulBahia; IV - com o Município de Eunápolis - começa no Km 15 da BR-367 (coordenadas -16° 23' 30,75"; -39° 27' 24,45"), situado a 1 km a oeste da Faculdade UnisulBahia, daí em reta, sentido nordeste, até o córrego do Sul (coordenadas -16° 18' 32,62?; -39° 26' 32,00"), situado 4 km a leste de sua nascente, continua em reta, sentido norte, até a nascente do córrego Sapucaeirinha (coordenadas -16°16' 58,38"; -39° 26' 31,84"), próximo à fazenda Sapucaeira, desce por este até sua foz no rio Sapucaeira (coordenadas -16° 16' 06,78"; -39° 22' 56,10"), sobe por este até o ponto de coordenadas -16°15' 39,48"; -39° 23' 54,39", fronteiro à estrada Agrovila do PA Maravilha-Embaúba e próximo à fazenda Milagrosa, daí em reta, sentido norte, até o entroncamento da estrada Agrovila do PA Maravilha-fazenda Milagrosa com a estrada para o assentamento Embaúba (coordenadas -16°15' 29,22"; -39°23' 53,29"), continua em reta, sentido noroeste, até o entroncamento da BA-683 com a estrada para o assentamento Maravilha II (coordenadas -16° 13' 57,86"; -39°25' 13,99"), continua em reta até a BA-275, no ponto de coordenadas -16° 05' 52,93?; -39°24' 09,70", fronteiro à fábrica da Veracel, situado no divisor de águas entre as bacias dos rios Jequitinhonha e Santo Antônio. Art. 2º - Ficam aprovados os mapas anexos representativos dos Municípios integrantes do Território de Identidade Costa do Descobrimento, segundo o memorial descritivo constante do art. 1º desta lei. Art. 3º - Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

JOSE CARLOS

17 de Abr de 2014

O mercenário do PLÍNIO CORREIA definiu de vez que não vai abandonar o Prefeito Chico Bosta, mas precisamos alertar os vereadores de oposição que o Posto Pedra Branca é do Pai e da Mãe e ele é o Administrador por Procuração registrada em cartório, isso não pode, basta qualquer cidadão denunciar e esses contratos são distratados, ai quero ver como

Ubaldo Senna Filho

17 de Abr de 2014

Caro Arnaldo. Lembro-me que, há pouco mais de um mês atras, lhe comentei da minha surpresa e curiosidade ao trafegar pela BR 101, nas proximidades da Pedreira São Vicente e da Fazenda Putumuju, observei a implantação de um abrigo numa parada de onibus às margens desta rodovia, que ostentava o patrocinio da Prefeitura Municipal de Itagimirim, em pleno território Itapebiense. O questionamento imediato que surgiu foi: Por quê estaria a Prefeitura Municipal de Itagimirim investindo em nossas terras? Ironicamente fez-me lembrar do plano de governo apresentado à Justiça Eleitoral pelo então candidato a prefeito Peba que prometia investimentos e melhorias nas terras do municipio vizinho Itagimirim... Seria esta a contra-partida do prefeito Rielson, motivado pela politica da boa vizinhança? Infelizmente não é esta a realidade dos fatos. Com os relatos recentes feitos por «Saco cheio de tanto abuso» e complementado por «Informações» nesta tribuna, o sentido da implantação de um simples abrigo de onibus demonstra um enorme descaso dos nossos representantes politicos para com o nosso patrimonio e nosso futuro. Essa implantação do abrigo pode ser considerada como uma demarcação de territorio e a caracterização da imissão de posse. O prejuízo para Itapebi é muito maior que a perda de uma metragem de area municipal ou dos beneficios gerados por esta area ou pela pedreira. A referente area transferida para o Municipio de Itagimirim é parte integrante da bacia hidrografica do Corrego do Cariri, de onde são capitadas as aguas que abastecem a nossa sede municipal. Com essa perda territorial perdemos tambem a soberania desta bacia hidrografica. Isto significa que agora dependemos de outros na garantia da qualidade e quantidade das aguas que nos abastecem. Não somos mais os soberamos para estabelecer os parametros de usos e ocupações do solo desta bacia para garantir a qualidade da agua que consumimos. A sustentabilidade desta bacia tera, agora, que cotejar os interesses exclusivamente economicos do Municipio de Itagimirim com os interesses ambientais e sociais de Itapebi. Não sei em que estagio legal este processo se encontra. Mas pelo absurdo gerado, todo esforço da comunidade de Itapebi será oportuno para se evitar a consolidação desta aberração. Contamos com sua liderança. Abraços.

Apoio: SACO DE CHEIO DE TANTO ABUSO

17 de Abr de 2014

Concordo plenamente, Itapebi está precisando de uma varredura total dos políticos viciados, que só pensam em roubar o erário público. 2016 vem aí, vamos sacudir a madeira nestes ladrões. Vamos varrer esta Câmara de Vereadores e colocar lá, quem realmente gosta e ama esta terra.Tem políticos com experiência precisando de nova chance e outros com bastante potencial, para fazer Itapebi crescer. Vamos à luta! Acorda juventude de minha terra!

Informações

16 de Abr de 2014

A quem Possa Interessar § 6º - Os limites do Município de ITAPEBI, estabelecidos na forma da Lei nº 1.022, de 14 de agosto de 1958, ficam atualizados, passando a vigorar com a seguinte redação: I - com o Município de Potiraguá - começa no alto da serra Azul (coordenadas -15° 52' 04,62" ; -39° 54' 38,46), segue pelo divisor de águas entre as bacias dos rios Jequitinhonha e Pardo, sentido leste, até o encontro com o divisor de águas da sub-bacia do córrego Surubim (coordenadas -15° 46' 23,45" ; -39° 34' 03,52"), próximo à fazenda Roçado; II - com o Município de Mascote - começa no encontro do divisor de águas da sub-bacia do córrego Surubim com o divisor de águas entre as bacias dos rios Jequitinhonha e Pardo (coordenadas -15° 46' 23,45"; -39° 34' 03,52"), próximo à fazenda Roçado, segue pelo referido divisor até a nascente do córrego Veremos (coordenadas -15° 47' 35,27"; -39° 34' 23,84"); III - com o Município de Belmonte - começa na nascente do córrego Veremos (coordenadas -15° 47' 35,27"; -39° 34' 23,84"), desce por este até sua foz no rio Jequitinhonha (coordenadas -15° 58' 59,83"; -39° 28' 40,84"), desce por este até a foz do córrego dos Mouras (coordenadas -16° 02' 50,89"; -39° 23' 29,69"), sobe por este até a ponte na BA-275 (coordenadas -16° 04' 36,53"; -39° 25' 58,95"); IV - com o Município de Eunápolis - começa na ponte sobre o córrego dos Mouras, na BA-275 (coordenadas -16° 04' 36,53"; -39° 25' 58,95"), daí em reta, sentido sudoeste, até a foz do córrego da Lama no rio Santo Antônio (coordenadas -16° 05' 34,77"; -39° 28' 09,27"); V - com o Município de Itagimirim - começa na foz do córrego da Lama no rio Santo Antônio (coordenadas -16° 05' 34,77"; -39° 28' 09,27"), sobe pelo referido córrego até sua nascente (coordenadas -16° 03' 30,86"; -39° 29' 19,19"), daí em reta, sentido noroeste, até o alto da serra do Limoeiro, fronteiro à pedreira São Vicente Mineração (coordenadas -16° 01' 55,47"; -39° 33' 21,94"), continua em reta até o entroncamento da BR-101 com a estrada para a fazenda Tupumuju (coordenadas -16° 01' 20,67"; -39° 36' 32,23"), @ ___þ¯ðH até a foz do riacho Tupumuju no córrego Cariri (coordenadas -16° 00' 29,00"; -39° 37' 00,95"), continua em reta, sentido noroeste, até a foz do córrego do Peixe no rio Jequitinhonha (coordenadas -15° 58' 18,68"; -39° 44' 59,15"), sobe por este até a foz do córrego da Gameleira (coordenadas -15° 58' 35,68"; -39° 50' 35,96"); VI - com o Município de Itarantim - começa na foz do córrego da Gameleira no rio Jequitinhonha (coordenadas -15° 58' 35,68"; -39° 50' 35,96"), sobe pelo referido córrego até a foz do córrego da Gameleira Seca (coordenadas -15° 57' 18,48"; -39° 52' 05,13"), sobe por este até sua nascente (coordenadas -15° 52' 13,05"; -39° 56' 50,31"), segue pelo divisor de águas entre as bacias dos rios Jequitinhonha e Pardo até alcançar o alto da serra Azul (coordenadas -15° 52' 04,62"; -39° 54' 38,46"). Segredo embaixo de sete chaves

falavio

16 de Abr de 2014

apoio total ao saco cheio de tanto abuso temos que fazer uma troca geral por pessoas mais simples da comunidade

Saco cheio de tanto abuso

16 de Abr de 2014

Voce sabia que o municipio de Itapebi perdeu para Itagimirim boa parte de seu território e que isso aconteceu não nesse governo e sim por negligência do governo de Claudio Carvalho em seu final? O limite de municipio entre Itagimirim com Itapebi que era na pedreira hoje é na fazenda putumujú e que o icms da pedreira o os impostos destas fazendas ficaram para o municipio de Itagimirm? Quando da reunião para aprovação ou não destas mudanças os municipios teria que enviar os seus representantes para a composição desta mudança límitrofe, Itagimirim enviou seu vice prefeito na época, Beto e Itapebi enviou quem? Voces sabem? Desta vez o culpado é o Leão! Ah! Itapebi herdou uma parte que só nasce sapé do território de Macote. Itapebi precisa de uma faxina geral destes politicos que não se importam com nossa terra e história. Chega de falsos Salvadores da Patria. Nem Chico, nem Claudio, nem Peba, nem Débora ninguem destes cupins viciados em politica. Temos sim, que encontrar alguem do povo simples que seja eleito mesmo por vontade do povo não por mancomunação e trocas de apoio por cargos e dinheiro da prefeitura. Dinhero público é para obras, educação, saude, segurança e assistencia social no conjunto, não parea ser divididos entre malandros profissionais da politica. Precisamos é de gestores que coiba até os avanços de construções em que fazem vista grossas até em avanço nas calçadas com esfarrapadas desculpas. Se liga povo de Itapebi esses carrapatos devem se tocar, estamos no século XXI. Chega de omissão. Um cara de saco cheio com o descaso e da malandragem enrustida

Apaixonado pela Terra

15 de Abr de 2014

Vejam ai, Antonio Elias é Carioca mas veio para Itapebi para ajudar... Não é como muitos que aqui só veio roubar. Valeu Boca aberta pelo trabalho e a voce Arnaldo Reis pelo trabalho que faz divulgando tudo que acontece em nossa cidade. Continue assim pois depedemos de seu trabalho para mesmo de longe ajudar aos que ajuda a nossa terra. Um filho apaixonado por sua terra

Cássima Borjaille

15 de Abr de 2014

Parabéns Antônio lindo o seu trabalho.e vc tb Arnaldo por passar as notícias de Nossa terra parabéns a vc tb

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • ...
  • 247
  • Faça sua denúncia

    FALE CONOSCO

    Sem enquetes cadastradas

    VÍDEOS

    CANÔA SUISSA II
    POSTADO: 09-12-2013 12:12

    NOTAS SOCIAIS

    • Apagou velinhas em Itagimirim

      Aniversariou na última terça-feira (15), em Itagimirim, o pequeno Augusto Vieira Lima. Augusto completou cinco aninhos e é filho do casal Rielson Lima e Saadya Vieira. O Garotão comemorou seu aniversário com seus amiguinhos na escola onde estuda. Parabéns Augusto. Feliz tudo!!


      Ver todas as notas